Negócios em Foco

Higienização, de volta para o futuro


São Paulo 20/05/2020 21h58

A importância da higienização das mãos em farmácias e drogarias

De repente algo acontece e tudo muda! Na verdade uma realidade existente há muito tempo vem à tona como uma grande novidade: lave as mãos! Um hábito tão antigo mas que muitas vezes por comodismo não damos a atenção devida. Esse hábito começa a ser evidenciado como se fosse o lançamento de um grande filme que deve ficar martelando na cabeça “lave as mãos, higienize as mãos...” como se fosse necessário lembrar-se de algo que sempre soubemos, e é exatamente isso!

A higiene é algo que aprendemos desde muito cedo, desde pequenos, são boas maneiras ensinadas pelos nossos pais, na escola, nos programas infantis, como ler, ouvir ou cantar “Lava outra, lava uma, lava outra, lava uma mão, lava outra, lava uma...” aposto que te remeteu às imagens e as lembranças dessa época, mas o que aconteceu? Porque agora isso vem à tona como se isso fosse uma novidade?

Se pesquisarmos historicamente a relação de higienização e pandemias acontece de tempos e tempos, e provavelmente voltarão a acontecer, mas é exatamente nesse momento em que nos deparamos com a necessidade de nos resgatar, desde as coisas simples até as mais complexas. Vemos que muitas vezes o simples, o óbvio e o necessário não são realizados! As ruas param, os governos entram em alerta e é como se tudo tivesse que parar, como se estivéssemos em um momento de reaprender algo que já sabemos. É uma ordem, PARE! E volte para a sua essência, para o que você sempre ouviu, mas nunca deu a atenção que isso pedia.

Ações como manter as mãos limpas são tão importantes que são obrigatórias e fiscalizadas por órgãos competentes em indústrias alimentícias, cosméticas, farmacêuticas, etc. Existem procedimentos específicos e validados que garantem a higienização correta para a execução das atividades produtivas. Sim, lavar as mãos é um procedimento obrigatório para a maior parte dos processos industriais, desde o ambiente padronizado para a higienização até a finalização com o fechamento da torneira.

O ambiente farmacêutico é a referência e muitas vezes o local onde a maioria das pessoas tem acesso a informações sobre saúde, atenção para explicar determinadas situações e até mesmo de um cuidado especializado. É um ambiente que deve transmitir saúde e bem estar a todos que entram em alguma farmácia ou drogaria.

Lavabos, sabonetes, materiais de higienização, álcool gel, procedimentos internos e orientações parecem coisas óbvias, certo? Portanto, avalie se o seu ambiente hoje possui as estruturas básicas e necessárias para manter o ambiente saudável e limpo? Como está seu banheiro? Seus colaboradores e clientes tem acesso ao álcool gel? Eles são orientados a realizar a higienização constantemente? Faça aí uma análise rápida, pense nas situações do dia a dia.

De acordo com farmacêutico Kali Nardino, \"As boas práticas para higienização, além de constar na RDC 44, devem ter um procedimento operacional descrito para cada farmácia ou drogaria. Para assegurar que estas normas tão importantes sejam seguidas, os colaboradores devem receber um treinamento específico para que desta forma possam garantir a sanitização e higienização das farmácias, drogarias e também o asseio da equipe\".

Entre as medidas de segurança e higiene podemos destacar a forma correta de higienizar as mãos com água, sabão e álcool gel (saiba mais sobre o assunto consultando o site da ANVISA: http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/controle/higienizacao_simplesmao.pdf), além de orientar todos os momentos em que isso deve acontecer como: após o uso do banheiro; antes e depois do atendimento a clientes; durante troca de turnos; ao tocar em objetos; durante e após o atendimento dos clientes; após uso ou higienização dos equipamentos de medição ou de equipamentos de atendimento; etc. Além disso, o POP (procedimento operacional padrão) de uma farmácia ou drogaria também deve incluir normas de asseio, uso de equipamentos de proteção como máscaras e luvas, postura individual e procedimentos de limpeza padrão com periodicidade e indicações de como efetuar a limpeza de acordo com o produto, ambiente e ou necessidade.

Nota importante: outro ponto que pode evitar a contaminação de produtos no PDV (ponto de venda) é a exposição e precificação realizada de forma correta. Com uma precificação adequada, o cliente não precisa ficar tocando nos produtos para encontrar o preço, evitando assim a contaminação.

Sabemos que o grande diferencial entre as farmácias e drogarias é o atendimento prestado, um ponto que gera referência na região, fideliza clientes, aumenta o ticket médio e consequentemente o faturamento. Em tempos complexos como este de uma pandemias isolamento social e de impactos profundos na saúde e economia, o sorriso pode mudar o dia de uma pessoa, e as máscaras de proteção não podem inibir isso, portanto, uma dica é aprender a sorrir com os olhos! Demonstre preocupação, atenção, cuidado e empatia. “Um atendimento bem realizado transforma a experiência de compra. Em momentos de pandemia, o atendimento digital, serviços de deliveries e pequenas atitudes como oferecer máscaras para o cliente ao ser recepcionado na drogaria, disponibilizar higienizadores de mãos nas entradas e em locais estratégicos da loja geram uma nova experiência.

Além disso, o conhecimento e postura adequada dos atendentes e prestadores de serviços trarão com certeza um retorno positivo nas vendas.” Afirma Eduardo Araújo, consultor especializado no varejo farmacêutico e um dos coordenadores do projeto Marcas Pilares.

Faça dessa fase de análise um modelo de gestão de higiene e limpeza. Não permita que a volta da normalidade (ou novo normal) o faça esquecer os pontos básicos e de extrema importância para a segurança e saúde de todos, principalmente nesse ambiente que deve transmitir sempre uma sensação de SAÚDE E BEM ESTAR!

*Artigo elaborado por Juliane Jordão, com colaboração de Kali Nardino e Eduardo Araújo.

Serviço:

JULIANE JORDÃO

Formada em Recursos Humanos e Gestão de processos, atua há mais de 13 anos nas áreas Comercial, Marketing, Trade Marketing, Gestão de Produtos e Projetos. Com experiência em gestão, coordenou e treinou equipes de trade marketing em todo o Brasil em indústrias nacionais de bens de consumo. Consultora do Projeto Marcas Pilares, tem como objetivo levar a sua experiência em gestão de categoria explorando os HPCs.

KALI NARDINO

Especialista em Marketing, Farmacêutico, pós-graduado em Administração Hospitalar e MBA em Marketing. Background no mercado farmacêutico, com mais de 23 anos de experiência em Marketing; Vendas (KAM); Brand Channel Manager; GC e Projetos de Consultoria para Indústrias Nacionais e Multinacionais, além de trabalho reconhecido no Varejo (Farmácias e Drogarias). Proprietário da Webmoven é um dos Mentores do Projeto Marcas Pilares.

EDUARDO ARAÚJO

Consultor especializado no varejo farmacêutico, com mais de 30 anos de experiência no mercado farma, já realizou projetos de consultoria, assessoria, treinamento e estratégia em 350 pontos de venda capacitando mais de 1.800 colaboradores de farmácias e drogarias em conjunto com 17 indústrias e distribuidores. Atualmente também é um dos Coordenadores do Projeto Marcas Pilares.

PROJETO MARCAS PILARES

O Projeto Marcas Pilares é uma iniciativa da Distribuidora Equipo Farma e da Agência Webmoven, que auxilia donos e gestores de farmácias e drogarias na melhoria de seus negócios. Juliane Jordão, Kali Nardino e Eduardo Araújo são alguns dos consultores especializados no Varejo Farma, que colaboram com a transformação e profissionalização do Varejo Farmacêutico. O Projeto já realizou atendimento consultivo e treinamentos em mais de 500 CNPJ´s, com o apoio de indústrias como ADV, Bioland, Sanfarma, Eurovit, entre outras.


Mais informações:

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com