Negócios em Foco

A vida começa depois da demissão


Rio de Janeiro - RJ 02/03/2018 17h06

O número de desempregados já supera 13 milhões, mas a redução drástica da oferta de emprego e a demissão em massa oferecem uma nova perspectiva às pessoas.

Todo mundo teme uma palavra chamada demissão, só de ouvi-la já dá um frio na barriga. No entanto, essa tem sido a realidade de milhares de pessoas nesses momentos de crise que o País atravessa.

Você pode não acreditar, mas ser demitido para algumas pessoas é bem mais positivo do que negativo. Muitos entrevistados desta matéria contam as suas histórias de como conseguiram transformar esse momento difícil em uma nova oportunidade. De assustadora, a demissão tornou-se o empurrão que faltava para a criação do próprio negócio e da construção de um sonho.

Porém, neste momento difícil é preciso, mais do que nunca, cautela. Um dos primeiros passos é respirar, absorver a notícia e partir para o plano B da vida: investir em seu próprio negócio. Por que não?

Rumo ao empreendedorismo

Não é fácil e todos nós já passamos por isso, as contas começam a chegar, você acabou de ser demitido e precisa pensar em um meio de ganhar dinheiro. A primeira medida, em geral, é começar a enviar currículos para as empresas, isso pode dar certo ou não. Com o mercado fechado, contratando cada vez menos, as possibilidades de conseguir um novo emprego dessa maneira têm sido cada vez menores.

No entanto, neste outro caminho e bem menos promissor, o do empreendedorismo. Essa é uma escolha que rende muito mais frutos, mas requer alguns cuidados, um deles é planejar e pensar bem com qual serviço e produto deseja trabalhar. “Resgatar sonhos e planos antigos pode ser algo muito produtivo para a vida profissional e pessoal também.”, aconselha a coach especialista em negócios Soraya Salomão. Mas, se não se sabe como, pesquise, estude, converse com profissionais que estão no ramo e/ou atividade que escolheu.

A especialista em negócios, a coach Soraya Salomão, explica que crise para muitos significa oportunidade para tantos outros. Pense sempre em épocas como esse existem setores que estão em alta, têm demanda e procura. Por isso, identifique as que precise de uma habilidade e de um conhecimento que muitas vezes você tenha e agregue valor. “Todos podem conseguir o que almejam. Quando você quer algo, você se esforça para atingir o objetivo e você consegue. Não deixe ninguém falar que você não consegue algo, pois todos nós somos capazes de conseguirmos o que queremos. Planeje, confie em si mesmo e boa sorte.”

Planejamento, conhecimento, criatividade

Independentemente do caminho que tomar, para iniciar um projeto é fundamental ter um plano. Portanto, faça um planejamento de tudo, escreva, coloque no papel e defina prazos.

Um ponto importante a ser levado em conta é optar por um negócio familiar, algo que você já conheça ou domine, assim seu gasto de tempo em aprender sobre o assunto será menor. Lembre-se de que você começou a trabalhar, a produzir e assim reuniu conhecimentos, faça uso deles.

Neste momento uma ajuda profissional também pode ser bem-vinda. Existem organizações sem fins lucrativos que podem ajudá-lo. Existem organizações sem fins lucrativos que podem ajudá-lo a se conhecer melhor e assim encontrar algumas especializações.

Além do mais, você terá mais prazer em trabalhar com alguma coisa que conheça. “Além da criatividade, as pessoas devem contar com seus conhecimentos e habilidades pessoais. O segredo de começar um empreendimento é pensar rápido, não deixar o emocional dizer o que você deve fazer. Controle-se, confie em você e mãos à obra.”, conta a coach especialista em negócios.

Mãos na massa

Empreender exige uma série de comportamentos, como persistência, comprometimento, disciplina, disposição para correr riscos, autoconfiança e pro atividade. Não desistir já é o primeiro passo para o sucesso.

Depois de se conhecer, o próximo passo é descobrir o que comercializar. Na realidade, no processo de identificação de oportunidades, dentro do primeiro passo, está também o de definir um mercado consumidor (público-alvo, pessoas que você pretende atender), e a partir daí realizar uma pesquisa de das necessidades deste público-alvo. “Por exemplo, se você percebe que em um determinado local não tem muitas lojas de comidas naturais e você estuda o local e vê que tem academia ao lado, pessoas que gostam de se alimentar de uma forma melhor... Abrir um negócio nessa área é uma opção. Estude o local e planeje antes. ”, explica Soraya Salomão.

Somente olhando para as necessidades do mercado de trabalho é possível pensar em produtos, e serviços que potencialmente terão consumidores. Sendo assim, o próximo passo é pensar como viabilizar isso. Quanto preciso investir? Posso comprar o produto ou é melhor terceirizar? Nessa fase é a hora de colocar tudo no papel. “A sugestão é fazer um planejamento pensando nos próximos dois anos, e depois de pronto, se perceber que o investimento não cabe no seu bolso, tente organizar novamente o planejamento até se tornar viável para você, mas sem tirar a qualidade e competitividade do negócio.”, finaliza a coach em negócios.

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com