Negócios em Foco

Conheça os principais tipos de sites visados por hackers


São Paulo 18/12/2019 13h55

Saiba quais endereços virtuais são os que mais sofrem com isso e quais são os objetivos dos cibercriminosos

A internet é uma das maiores invenções da humanidade, já que permite que pessoas de todo o mundo estejam conectadas e tenham rápido acesso a notícias e conteúdos, bem diferente do que acontecia no passado.

Porém, infelizmente, alguns a utilizam para fins prejudiciais, como os hackers, que invadem sites e trazem pânico às vítimas, muitas vezes com o objetivo de serem recompensados para cessar o ataque, quase como em um sequestro.

De acordo com um estudo da Clark School, da Universidade de Maryland, nos EUA, em média, acontece um ataque hacker a cada 39 segundos. Isso significa que, enquanto você lia este texto até aqui, provavelmente aconteceram pelo menos duas invasões hackers em computadores pelo mundo afora!

Alguns sites se mostram mais “vantajosos” para os hackers, e, não por acaso, já que há motivos que os levam a agir desta forma - ainda que a atitude seja injustificável, de fato. Vamos conhecer outras estatísticas sobre o tema e saber quais tipos de site estão mais sujeitos a se deparar com este problema.

Há muitos riscos de segurança na internet?

Sim. É claro que isso não significa que você deve abandonar o mundo virtual, mas a sua atenção precisa ser redobrada. Confira algumas estatísticas sobre o assunto, seguidas de suas fontes:

Desde 2013, há 3.809.448 registros roubados por conta de brechas todos os dias. Isso representa 158.727 por hora, 2.645 por minuto e 44 por segundo (Cybersecurity Ventures).

95% das brechas de cibersegurança são causadas devido a falhas humanas (Cybint Solutions).

Apenas 38% das empresas em todo o mundo afirmam estar preparadas para lidar com um ataque cibernético sofisticado (ISACA International).

O custo médio de cada vazamento de dados em 2020 deve ser maior do que US$ 150 milhões. Estima-se, ao todo, que o crime cibernético trará um custo de US$ 2 trilhões às empresas no ano de 2020 (Juniper Research).

Os números não mentem e mostram que a segurança na internet é um assunto que merece ser encarado com o máximo de cuidado e atenção, já que pode trazer sérios prejuízos financeiros e funcionais a qualquer empresa, independentemente de seu porte ou segmento.

Quem é mais visado pelos ataques de hackers?

Como não poderia ser diferente, vamos responder a essa pergunta com dados. Uma pesquisa feita pela UPX Technologies mostrou que há cinco tipos de sites mais visados aos ataques de hackers, que são os seguintes:

Bancos;

Companhias aéreas;

E-commerces;

Governamentais;

Servidores de jogos.

Ainda que estejam entre os preferidos dos hackers, isso pode mudar de acordo com alguns efeitos secundários. Por exemplo, quando os assuntos anteriores aparecem em diferentes veículos da mídia, de sites corporativos a portais de notícias, estes também podem passar a ser alvos de interesse.

Outro insight coletado na pesquisa afirma que o Distributed Denial of Service, também conhecido como DDoS, é a modalidade mais utilizada, que consiste em uma tentativa maliciosa que visa afetar o tráfego normal de um servidor, serviço ou rede, ou mesmo sua infraestrutura, com vários acessos simultâneos.

Geralmente, tais ataques podem ser “resolvidos” mediante o pagamento de um determinado valor, mas também há casos em que eles são feitos apenas para demonstrações de “poder” na internet ou para protestar por alguma causa.

Já outra pesquisa, essa feita pela Trend Micro, constatou que os setores mais afetados no Brasil são educação, governo, varejo, serviços, infraestrutura (água, energia elétrica e afins), saúde, financeiro, indústria, telecomunicações e transportes.

Para levantar os segmentos mais afetados, a empresa analisou o percentual de negócios que foram atacados por ramsonware (software nocivo que impede o acesso ao sistema infectado, sendo que o cibercriminoso, em sua grande maioria, cobra um determinado valor para liberação. Caso contrário, os arquivos podem ser excluídos ou vazados).

Ambas as pesquisas mostram que sites muito visados por hackers são aqueles em que é possível obter informações sensíveis, geralmente voltadas a dinheiro, como bancos, lojas virtuais, companhias aéreas e serviços, além de órgãos governamentais e de saúde, em que o impacto da invasão tende a ser ainda maior.

O que fazer para se proteger das invasões de hackers?

Se você trabalha em alguma empresa ou instituição que está entre as mais visadas, é fundamental se precaver. Na verdade, todas as companhias, órgãos públicos e privados precisam se proteger, já que também estão sujeitos a ataques.

Para evitá-los, é possível seguir algumas dicas, como:

Tenha senhas fortes. Use caracteres especiais, números e alterne entre letras maiúsculas e minúsculas, além de não escolher informações fáceis de serem descobertas, como data de nascimento, nome do cônjuge ou apelido.

Não use as mesmas senhas em diferentes acessos. O ideal é que cada uma de suas contas tenha senhas exclusivas, tanto as de uso pessoal quanto corporativo. Se você não tem boa memória, a dica é optar pela mesma senha seguida do tipo de serviço usado. Exemplo: senha_instagram, senha_email, senha_ecommerce etc.

Atualize as senhas constantemente. Além disso, vale a pena trocar suas senhas de tempos em tempos. Pode ser a cada 3 ou 6 meses, por exemplo.

Mantenha os aplicativos e sistemas atualizados. Esse cuidado que parece tão simples pode fazer com que as mais recentes ameaças não te afetem, já que estarão contempladas entre as medidas de segurança do dispositivo ou sistema.

Cuidado com mensagens estranhas. Seja em apps de mensagens, redes sociais, sites ou e-mails, tome cuidado com qualquer mensagem de teor ou conteúdo duvidoso. Na dúvida, não abra e tente entrar em contato com o possível remetente para saber se realmente foi ele que enviou algo.

Quando possível, opte pela verificação em duas etapas. Se ela for usada em seu e-mail, por exemplo, para que alguém possa acessá-lo, além de ter a senha também será necessário digitar um código enviado para algum dispositivo seu. Dessa forma, fica muito mais difícil de ser hackeado.

Invista em bons sistemas de segurança. Assim como os hackers atualizam seus conhecimentos, o mesmo se aplica a quem atua para o bem. Até mesmo a inteligência artificial vem sendo utilizada para esta finalidade, de modo a identificar qualquer movimentação estranha e, assim, combater o problema o quanto antes.

Habilite alertas de logins. Desta forma, quando entrar em sua conta, você receberá um aviso, geralmente no e-mail. Caso o receba sem realmente ter acessado a conta, tome providências imediatas, como desconectar de todos os dispositivos e mudar a senha.

É fato que a internet é um terreno visado por pessoas e empresas mal-intencionadas, mas é só tomar cuidado para poder utilizá-la com segurança. De senhas difíceis à inteligência cibernética, faça todo o possível para que sua navegação esteja completamente protegida!


Mais informações:

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com