Negócios em Foco

Se nada mudar, o Brasil terá 11,3 milhões de crianças obesas até 2025


Rio de Janeiro, RJ 06/08/2018 11h02

Sem uma mudança de hábitos, em menos de uma década a obesidade pode atingir 11,3 milhões de crianças no Brasil, de acordo com um alerta divulgado pela Federação Mundial de Obesidade.

Entidades de saúde alertam que, se não houver uma mudança de rumo, o Brasil, assim como a população global, enfrentará um forte crescimento de doenças associadas à obesidade, como diabetes, pressão arterial elevada e doenças de fígado.


Os pesquisadores de um importante estudo, coordenado pela universidade inglesa Imperial College London e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), alertam que, se a obesidade continuar crescendo nos níveis das últimas décadas, em cinco anos o mundo terá mais crianças e adolescentes obesos do que com baixo peso.


Sem uma mudança de hábitos, em menos de uma década a obesidade pode atingir 11,3 milhões de crianças no Brasil, de acordo com um alerta divulgado pela Federação Mundial de Obesidade.

Vilões

A principal razão para a alta de peso na população mais jovem é o consumo de alimentos ricos em açúcar e gordura, principalmente os industrializados.

"Essas tendências preocupantes refletem o impacto da publicidade da indústria alimentícia e das políticas públicas ao redor do globo, com alimentos saudáveis e nutritivos se tornando algo muito caro para famílias e comunidades pobres", afirmou em um comunicado a pesquisadora que liderou o estudo publicando na Lancet, Majid Ezzati, da Escola de Saúde da Imperial College London.

No Brasil a tendência é semelhante. Nas últimas quatro décadas, o índice de obesidade entre meninos saltou de 0,93% para 12,7%. Entre meninas, o crescimento foi menor, mas ainda assim elevado: passou de 1,01% em 1975 para 9,37% no ano passado, de acordo com dados compilados pela rede de cientistas de saúde NCD Risk Factor Collaboration, utilizados na pesquisa.


Questão de status

Assim como nos outros países pesquisados, a elevação dos níveis de obesidade no Brasil está relacionada ao maior consumo de produtos industrializados, ricos em açúcar e gorduras.

Estimativa da organização aponta que, em 2025, 150 mil crianças e jovens no Brasil desenvolverão diabetes tipo 2, enquanto 1 milhão terão pressão arterial elevada. Outro dado alarmante é o número de crianças e jovens brasileiros que sofrerão com gordura no fígado - cerca de 1,4 milhão, segundo a entidade.


Este importante estudo foi publicado na revista científica britânica The Lancet, no final de 2017, e chamou a atenção de Rafael Gesualdi, levando-o a fundar o Anima Nutri, startup que tem como propósito ajudar a diminuir o sobrepeso e a obesidade infantil no Brasil.

"A cada três crianças no Brasil, uma está acima do peso. Desenvolvemos o Anima Nutri para ajudar mães e pais, a fazerem seus filhos entre dois e seis anos de idade, comerem frutas, legumes e verduras diariamente.", afirmou Gesualdi.

O Anima Nutri são figuras divertidas, projetada para aplicação nas frutas, legumes e verduras das crianças, para incentivar e transformar o seu consumo em uma divertida brincadeira.

As figurinhas são sensíveis à umidade, cada unidade possui menos de 1 caloria e são compostos por ingredientes naturais, não contém glúten, nem lactose e é zero açúcar.

O Anima Nutri estará disponível para envio em todo o Brasil, acesse www.animanutri.com.br para saber mais.


Mais informações:

Divulgado por

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com