Negócios em Foco

Período de seca no DF facilita a proliferação de doenças respiratórias


Brasília 28/06/2018 11h44

Em meio ao clima seco e frio, especialista reforça os cuidados para prevenir doenças

É comum que em algumas regiões do país, como no Distrito Federal, o inverno coincida com o período de seca. A combinação da baixa temperatura com a diminuição da umidade do ar facilita a proliferação de doenças respiratórias. Dados da Secretaria de Saúde estimam que os atendimentos nos hospitais aumentem cerca de 40% no período, em função das infecções via aérea. Para ajudar na prevenção, especialista reforça os cuidados necessários para evitar as doenças mais comuns do período, como gripe, rinite alérgica, asma e meningite.

O aumento dos casos se deve, principalmente, ao fato de que o ar seco torna mais difícil a umidificação das vias aéreas. Além disso, o aumento da poeira e do número de partículas suspensas no ar também colabora para a maior vulnerabilidade aos agentes físicos e infecciosos do ambiente. "Com a baixa na umidade e na temperatura é comum que as pessoas passem mais tempo em ambientes fechados e aglomerados, o que favorece a exposição a vírus e bactérias", lembra o infectologista e professor do Curso de Medicina da Universidade Católica de Brasília (UCB), Vitor Laerte.

As crianças e idosos constituem grupo mais susceptível à ocorrência de complicações das infecções respiratórias. O Influenza vírus (vírus da gripe) apresenta-se em maior frequência nesta altura do ano e é causador de complicações como rinite, otite, sinusite, pneumonia, conjuntivite. "Mesmo assim, as doenças impactam a população de uma forma geral e todos devem se atentar para os cuidados", alerta infectologista.

Segundo o especialista, cuidados básicos são os mais eficazes para poder prevenir e evitar as infecções. É altamente recomendada a constante higienização das mãos, o uso do álcool em gel, além das etiquetas respiratórias, caso haja necessidade. "A maneira de tossir e espirrar também ajuda no controle da proliferação. O correto é tampar as vias aéreas com o antebraço, e não com as mãos, que usamos constantemente no contado do dia a dia, favorecendo a proliferação dos vírus e bactérias", explica. O infectologista também chama a atenção para o cuidado em locais públicos, no contato com as superfícies de elevadores, maçanetas e corrimões, por exemplo.

H1N1
A vacinação continua sendo uma das melhores maneiras de se prevenir as doenças de transmissão respiratória e garantir a imunização, especialmente contra gripe, sendo importante a consulta com o médico assistente para complementação do cartão de vacinação. Os tipos mais graves da doença, como H1N1, H3N2 e os de influenza B, tendem a circular mais e afetar a população no período de seca e frio. "É importante estar atento para esses casos e buscar a vacinação, especialmente aqueles que costumam estar em locais muito aglomerados, como alunos, professores e profissionais da saúde", reforça Vitor.

Divulgado por

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com