Negócios em Foco

Indústria hoteleira demanda trabalhabilidade pela sazonalidade


São Paulo - SP 05/09/2019 14h17

Closeer/Divulgação

A crescente importância do turismo e da hotelaria traz consigo a imposição da capacitação profissional para o setor. Atualmente, o mercado exige dos profissionais maior capacidade de raciocínio, autonomia intelectual, pensamento crítico, espírito empreendedor e iniciativa, além da capacidade de antever cenários e resolver problemas. “É um universo de trabalho no qual desenvolver e aprimorar competências faz toda diferença”, diz Walter Vieira, Fundador e CEO da Closeer. “É um exemplo clássico em que a empregabilidade sai de cena para dar lugar à trabalhabilidade.”

Trata-se de um conceito que vem ganhando corpo numa economia que patina e acumula algo em torno de 13 milhões de desempregados, com novas regras trabalhistas e que precisa lidar com um novo tipo de trabalhador, surgido com a chamada Geração Y. Aquela que não gosta de manter vínculos empregatícios ou permanecer muito tempo em um mesmo emprego.

Não é diferente no setor hoteleiro, no qual uma das principais características é a sazonalidade. Principalmente em hotéis e pousadas que recebem turistas para o lazer. O aumento da demanda por hospedagens, e consequentemente da demanda por mão de obra na alta temporada, faz com que os gestores optem pela contratação de colaboradores para trabalho temporário.

Algo que deve se intensificar este ano, conforme estudo "Perspectivas de Desempenho da Hotelaria", elaborado pelo FOHB (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil), que apresenta resultados, panoramas e expectativas de desempenho da hotelaria no período de 2017 a 2020. As perspectivas são positivas, com aumento principais indicadores utilizados pela indústria.

Para 2019, as previsões para o fechamento do ano são de aumentos de +4,3% na ocupação, +5,7% na diária média e +9,6% no RevPAR – métrica de desempenho calculada dividindo a receita total de quartos de um hotel pela contagem de quartos e o número de dias no período que está sendo medido.

Trabalho intermitente é opção

Muito comum na indústria hotelaria, o trabalho intermitente é um regime que veio para formalizar as relações de serviço não contínuas, ou seja, aquelas que são feitas por um período pré-determinado. Em vigor desde 11 de novembro de 2017, após a Reforma Trabalhista, essa forma de contratação temporária tem feito muito sucesso e beneficiado tanto empresas quanto funcionários.

De maneira simplificada, essa forma de contratação veio para regularizar as contratações que são feitas ocasionalmente, aquelas que acontecem somente quando a empresa está com uma demanda alta e precisa aumentar seu quadro de funcionários para supri-la. “Atendemos um mercado composto por 1,2 milhão de estabelecimentos que empregam 6 milhões de pessoas, das quais 450 mil são trabalhadores temporários”, diz Vieira.

Sobre o aplicativo

O app Closeer elimina a lista de vagas em que candidatos buscam oportunidades disponíveis. Com um click, o estabelecimento recruta um profissional com determinado perfil. O algoritmo encontra quem possui a qualificação demandada e, de acordo com sua localização, disponibilidade e avaliação, o recomenda. Se este aceitar a oferta, ambos são colocados em contato, via chat.

Além de garantir rapidez no recrutamento, o aplicativo proporciona segurança, já que todos os cadastrados têm sua documentação verificada, via face-match, pelo próprio app, inclusive quanto a antecedentes criminais. Para trabalhadores, que se cadastram gratuitamente na plataforma, serve também para o ingresso em profissão. O algoritmo seleciona também pela experiência exigida. Há casos em que ela não é necessária. Portanto, se alguém tem aptidão para determinada atividade, pode se candidatar. Pode até levar mais tempo, mas haverá demanda pelos seus trabalhos.

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com