Negócios em Foco

Quero mudar de país. E agora?


São Paulo - SP 15/05/2018 09h23

Mudar de país é o sonho de muitos brasileiros. Às vezes, parece uma realidade distante, mas atualmente não se apresenta como algo tão difícil de ser alcançado. Se você já decidiu que vai trilhar esse caminho, não deixe qualquer medo fazer com que recue para longe desse objetivo. Se tratando de uma mudança em tal nível, sua decisão tem que ser soberana.

Uma mudança internacional não é algo feito da noite para o dia. Uma troca de país deve ser planejada minuciosamente. Ela pode até trazer novos ares, mas se não houver um bom planejamento, você corre o risco de ganhar uma bela dor de cabeça. Para agilizar e facilitar esse processo, para evitar futuros transtornos, é aconselhável procurar empresas qualificadas e certificadas para o serviço de transporte de cargas.

Para esclarecer todas as dúvidas, fizemos um roteiro completo para você. O guia, obviamente, poderá variar de estado e/ou porto, mas vai refletir todos os passos que o viajante precisará seguir. Confira:

Buscando a empresa da mudança

O primeiro passo, principalmente quando estamos falando de uma mudança internacional, é procurar por uma empresa confiável, que possa garantir qualidade e segurança no transporte da carga. Busque sempre por aquela companhia que já tenha experiência no serviço. Cace informações sobre ela, acesse seu código de ética, procure saber sobre sua política de confidencialidade e propriedade de informações, e, se julgar necessário, solicite atestados de capacidade técnica e comprovantes de seguro da sua mudança ou carga. Verifique ainda a idoneidade da empresa junto a sites de reclamações e ao órgão de defesa do consumidor.

Preparação da carga

Após passar pelo difícil processo de escolher a empresa, seu segundo passo deve ser preparar a carga. Para isso, você deve armazenar todos os itens que pretende levar em caixas de papelão padronizadas. Elas devem ser divididas entre os cômodos e possuir numeração. Depois de embalar tudo, é preciso fazer uma declaração de bens contendo informações sobre conteúdo das caixas. O objetivo disso é saber exatamente o que está dentro das embalagens. Não há limitação em relação ao número do que você deve levar, desde que todas estejam descritas na relação de bens.

Como fazer a descrição

A descrição da carga pode ser de forma simples, utilizando apenas os nomes das peças que estão dentro das caixas. Exemplo: roupas, televisão, talheres, móveis do quarto. Estipule também um valor total para os produtos (não precisa ser exato e pode ser em dólares ou reais). Essa informação é utilizada pela Receita Federal.

O que não pode trazer

Veículos, motos, barcos, ou qualquer máquina com motor e itens para fins comerciais são expressamente proibidos.

Frete internacional

Nessa parte, ter escolhido uma empresa com boas referências no mercado é primordial, pois é exatamente nesse momento que você negocia valores e condições para o frete. Além disso, é preciso também chegar a um acordo sobre quanto tempo o contêiner vai ser utilizado. O prazo mínimo é de 10 dias e a multa diária por atraso é de 50 dólares. A dica é garantir o uso do contêiner por 15 dias. É de fundamental importância exigir que todo processo seja formalizado e documentado. Peça um documento oficial, uma carta ou um e-mail com informações do prazo negociado.

Documentação

Veja abaixo os documentos exigidos para a mudança internacional, mas, como precaução, antes de embarcar, verifique a situação cadastral na Receita Federal Brasileira:

  • Declaração de residência consularizada (Consulado Brasileiro);
  • Comprovante de residência;
  • Lista de bens assinada pelo viajante e reconhecida em cartório;
  • Folhas autenticadas do passaporte;
  • Bilhete aéreo da passagem;
  • Identidade e CPF.

Liberação de carga

Para isso, é preciso pagar o frete antecipado no país de origem. Retire os BLs originais (documentos com informações sobre a carga) após o embarque e busque um despachante aduaneiro com boas referências, pois ele vai lhe auxiliar no monitoramento até a carga chegar ao Brasil. Antes de chegar, será preciso pedir a remoção desta carga para um terminal próprio e especializado em armazenamento de bagagens. Após isso, você deverá pedir o descarregamento da carga, juntar a documentação e iniciar o despacho aduaneiro junto à Receita Federal.

Retirando a carga no terminal

Enfim chegou o grande momento de retirar a carga do terminal. Mas, para isso, é necessário quitar todas despesas portuárias: armazenagem, descarregamento, separação da carga e movimentação. A dica aqui é cobrar do profissional contratado no Brasil um orçamento prévio do que irá gastar. Será necessário ainda contratar uma empresa de transportes para levar sua carga até a sua nova residência.

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com