Negócios em Foco

Entre as Startups mais inovadoras do mundo, duas são agritechs brasileiras, reporta Flavio Maluf


04/09/2018 11h07

As duas Startups integram a lista deste ano lançada pelo Fórum Econômico Mundial

DINO

Não é de hoje que o setor do agronegócio vem crescendo, principalmente por conta do uso da tecnologia no campo — tanto no plantio quanto na criação de animais, por exemplo, entre outras diversas situações. Não por acaso, as duas empresas brasileiras integrantes da lista lançada pelo Fórum Econômico Mundial (FEM) em julho, das Startups mais inovadoras do mundo — as chamadas "Pioneiras Tecnológicas" — tratam-se de duas "agritechs". O termo é dado às empresas que criam tecnologias voltadas para o agronegócio, explica o presidente das empresas Eucatex, o empresário e executivo Flavio Maluf.

Fazem parte da lista empresas pioneiras em tecnologias que estão transformando os mercados nos quais atuam. Estão incluídos diversos tipos de inovações — utilização da inteligência artificial para a criação de novos remédios, por exemplo, bem como o desenvolvimento de veículos autônomos, a cybersegurança, entre outras modernizações.

Ao total, integram os Pioneiros Tecnológicos de 2018, 61 Startups. Como pré-requisito para entrar na lista, elas precisavam ser independentes, não subsidiárias ou joint ventures, e ter faturamento anual menor que 500 milhões de dólares. Entre os países com mais empresas incluídas na seleção estão os Estados Unidos, com 28 companhias; Israel, com oito; Reino Unido, com cinco; e Suíça, com três empresas.

O Brasil está representado pelas Startups Agrosmart e Plataforma Verde. A primeira monitora plantações em tempo real, e a segunda se trata de um software de gerenciamento de resíduos, salienta Flavio Maluf.

As empresas escolhidas integrarão, a partir de setembro, o chamado Centro de Inovação e Empreendedorismo — criado pelo Fórum Econômico Mundial este ano, e que será lançado na reunião anual dos selecionados, que acontece de 18 a 20 de setembro, na cidade de Tianjin, na China.

Por um período de dois anos, as Startups da lista participarão de iniciativas, eventos e atividades desenvolvidas pelo Fórum Econômico, bem como vão poder contribuir com ideias e perspectivas novas para problemas globais.

Ale salientar que, desde de o ano 2000, empresas consagradas como Google, Airbnb, Mozilla, Spotify, Twitter e Wikimedia — já passaram pela comunidade dos "Pioneiros em Tecnologia", do Fórum Econômico Mundial e, hoje, são referência no mercado.

As agritechs brasileiras

A Agrosmart criou e desenvolveu uma plataforma digital que está conseguindo levar até o setor agrícola o conceito de cultivo inteligente e fazendas conectadas, em termos de irrigação e monitoramento e clima.

Flavio Maluf reporta que, através dessa tecnologia, é possível, por exemplo, fazer o monitoramento de mais 14 variações ambientais — isso em tempo real e utilizando qualquer dispositivo móvel. Com o uso da plataforma digital, o agricultor consegue tomar decisão mais embasadas.

A Agrosmart está no mercado desde 2016 e possui, atualmente, cerca de 120 mil hectares monitorados pelo país. A Startup atua, também, no México, na Colômbia, no Peru e em Israel.

Já a Plataforma Verde usa conceitos de tecnologia disruptiva para a gestão de resíduos sólidos em empresas comerciais e industriais. A Startup conta com estruturas baseadas em internet das coisas, inteligência artificial, computação em nuvem e blockchain. Ela usa a tecnologia para tornar a gestão do lixo e resíduos mais eficiente. Através de um software, a plataforma rastreia o destino desses materiais e ajuda as empresas no descarte correto e no controle das perdas.

A Plataforma Verde iniciou as operações em janeiro de 2017 e, em menos de um ano no mercado já contava com mais de 1,3 mil companhias ativas no portfólio, reproduz o empresário Flavio Maluf.
O Fórum Econômico Mundial
Criado em 1971 com o nome de Fórum Europeu de Gerenciamento, o Fórum Econômico Mundial trata-se de uma organização internacional que está localizada em Genebra, cidade na Suíça.

A entidade é responsável pela organização de encontros, que ocorrem anualmente, com a participação e colaboração das maiores e principais empresas do mundo. Flavio Maluf salienta que esses encontros costumam ser realizados, em sua maioria, na cidade suíça de Davos — por conta disso, o evento também é conhecido como Fórum de Davos.

O executivo Flavio Maluf

O atual presidente das empresas Eucatex nasceu no dia 2 de dezembro do ano de 1961. Flavio Maluf é graduado em engenharia mecânica pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), na cidade de São Paulo; morou no exterior por um ano, trabalhando e estudando administração na Universidade de Nova York (NYU); e iniciou a carreira no ano de 1987, quando começou a atuar na área de trade do Grupo Eucatex.

Depois disso, Maluf passou a atuar na área industrial da companhia — e, por lá, ele permaneceu até o ano de 1996. Nessa mesma época, seu tio, que era o presidente da Eucatex na ocasião, chamou-o para integrar o quadro de executivos da empresa. No ano de 1997, o empresário assumiu a presidência da companhia.

Flavio Maluf, desde o início de sua gestão como presidente das empresas Eucatex, apostou em um processo de modernização. Em uma de suas entrevistas, o empresário ressaltou que não possui o hábito de desperdiçar oportunidades e sempre buscou o sucesso diário do Grupo Eucatex.


Mais informações:

Divulgado por

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com