Negócios em Foco

Sonho da “casa inteligente” está mais próximo da classe média


João Pessoa, PB 28/08/2018 11h18

Empresa paraibana desenvolve tecnologia própria e lança no mercado da construção civil local

Living - Divukgação

Há muitos anos já se fala em “casa inteligente”, ou seja, com automação residencial, e que se tornou forte tendência no mercado imobiliário. Mas, essa era uma realidade que até então pertencia somente ao universo das famílias de classe alta, já que o custo da tecnologia é elevado. Mas há empresas no Brasil que identificaram esse mercado da automação como promissor e investiram em desenvolvimento de seus próprios produtos focando atingir a classe média.

Segundo dados divulgados pela Aureside (Associação Brasileira de Automação Residencial) esse mercado prevê crescimento de 11,35% entre 2014 e 2020, em todo mundo e, no Brasil atualmente há 300 mil lares que contam com essa tecnologia. O que mostra que ainda há um leque de mercado muito grande para ser desenvolvido por aqui.

Foi pensando nesse mercado promissor que algumas empresas investiram no desenvolvimento de tecnologias próprias e que permitiram diminuir muito o custo do produto tornando-o mais acessível e deixando o sonho da casa inteligente bem perto do que se imagina.

Hoje, se um sistema de automação for adquirido fora do País, o custo pode chegar em torno de R$ 40.000 por unidade. De olho nesta tendência e com foco na democratização dos sistemas de automação, algumas empresas estão investindo em tecnologia própria, como é o caso da paraibana Fibra Construtora, que desenvolveu uma tecnologia em parceria com a empresa Fresh Minds, tornando o sonho da casa automatizada muito mais acessível.

No mercado há mais de 20 anos, a construtora levou três anos para desenvolver seu projeto de automação residencial que será aplicado no empreendimento Next Towers, previsto para ser entregue em outubro de 2018, e será o primeiro condomínio paraibano a ter a tecnologia já instalada nos apartamentos. Além de lançar a ideia no mercado da construção civil do Estado, a Fibra saiu na frente da concorrência criando seu próprio sistema.

“A gente sentiu necessidade de acompanhar essa mudança do mercado e queríamos de verdade oferecer um diferencial para nossos clientes. Estamos orgulhosos de termos encontrado um meio de tornar a tecnologia barata ao ponto de contemplarmos imóveis que não necessariamente são de alto padrão. A tecnologia é nossa, 100% nacional, e o hardware e os equipamentos são produzidos em São Paulo”, comemora Felipe Leandro, diretor da Fibra.

Entre as vantagens de uma “casa inteligente” estão: acender (com regulagem de intensidade) ou apagar as luzes; abrir e fechar cortinas persianas, com opção de programar horário para o despertar matinal; configuração de interruptores para melhor uso; e climatização controlada.

“Ter essa tecnologia instalada em casa é muito prático, pois você consegue, mesmo a distância, saber se esqueceu algo ligado, preparar sua casa para quando você chegar ou mesmo receber visitas sem estar em casa. Ou seja, é tecnologia permitindo a interação com a casa mesmo sem estar presente”, fala Felipe.

Além dos dois módulos que as unidades já contarão, o proprietário que quiser optar por ter um em cada cômodo e usufruir de comodidades como manipulação de portas e janelas, fechadura por biometria, controle da campainha do apartamento, entre outros equipamentos, terá um acréscimo que pode variar entre R$ 5.000 a R$ 10.000. “A construtora teve o cuidado de deixar uma pré-instalação pronta para modularizações sem ser preciso fazer alteração nas instalações já existentes. Queremos que nossos clientes usufruam de toda a tecnologia que o mercado possui em prol de seu bem-estar”, finaliza Felipe.

 


Mais informações:

Divulgado por

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com