Negócios em Foco

Saiba quais os danos do sol no rosto e como evitá-los


São josé dos campos 10/11/2019 18h46

Sol é vida. Essa frase curta nos dá constantemente a dimensão da importância do sol em todos os processos biológicos do Planeta Terra. No entanto, mesmo sendo imprescindível, o sol também pode ser causa de muitos danos, principalmente para a pele do ser humano.

E quando falamos de danos, não estamos nos referindo tão somente ao temido câncer de pele. Os chamados melanomas são sim a face mais perversa dos malefícios do sol, mas estão longe de ser a única.

Com os efeitos do aquecimento global, a exposição excessiva ao sol pode ser cada vez mais prejudicial para a nossa pele, principalmente a do rosto. Nesse texto vamos avaliar quais os principais danos a que estamos sujeitos ao nos expor ao sol e quais as melhores formas de nos prevenir. Lembrando que a pele do rosto, por ser a mais sensível, requer cuidados extras. Vamos, portanto, listar os danos:

1. Melasmas: São manchas geralmente marrons causadas pelo efeito cumulativo do sol na pele. Acometem mãos, braços e rosto.

2. Envelhecimento: A exposição excessiva ao sol provoca o envelhecimento precoce da pele ao contribuir para o surgimento de rugas e manchas.

3. Queimaduras: Os eritemas ou queimaduras acometem mais as pessoas de pele clara. A exposição excessiva ao sol em um período prolongado de tempo é a principal causa.

4. Acnes: O sol em excesso no rosto proporciona maior produção de sebo e oleosidade. Com isso, a pele fica mais suscetível a acnes e dermatites.

5. Redução de imunidade: a exposição ao sol por períodos prolongados pode reduzir a imunidade do organismo, deixando-o mais suscetível a gripes e resfriados.

6. Reativação da herpes: O sol pode reativar o vírus da herpes em pessoas que já tenham a doença.

7. Danos à visão: O excesso de luz e claridade emitidos pelo sol pode causar problemas de visão, como catarata e, até mesmo, câncer nas pálpebras.

8. Câncer de pele: é um tumor que atinge a pele, sendo o câncer mais frequente no Brasil e no mundo. É mais comum em pessoas com mais de 40 anos e é considerado raro em crianças e pessoas negras. Causado principalmente pela exposição excessiva ao sol. pode ser classificado de duas formas:

- câncer de pele melanoma: tem origem nas células produtoras da melanina, substância que determina a cor da pele, e é mais frequente em adultos brancos.

- câncer de pele não melanoma: mais frequente no Brasil, responsável por 30% de todos os casos de tumores malignos registrados no País.

Para prevenir tais malefícios, a melhor forma é evitar a exposição excessiva ao sol. Lembrando que o período do dia com maior incidência de raios UV é das 10h às 16h. Portanto, as atividades ao livre devem preferencialmente ser realizadas fora desse intervalo de tempo.

No entanto, outra forma bastante eficaz de se evitar os danos do sol é usando o protetor solar. De acordo com o Ministério da Saúde, deve-se usar um fator de proteção de no mínimo 15. Além disso, a tecnologia têxtil já desenvolveu diversos tipos de roupas e chapéus que também oferecem proteção contra os raios UV.

Sendo a pele do rosto a mais sensível, muitas vezes é preciso cuidados extras, como uso de protetor labial e óculos de sol. Outra dica importante, é não deixar de passar o protetor nas pálpebras e em outras partes menos visíveis, como atrás da orelha.

Com tais cuidados, é possível sim usufruir de atividades ao livre, na praia, ou piscina e, ao mesmo tempo, evitar os malefícios do sol para o rosto e para a pele em geral. E por fim, nunca é demais lembrar: em caso de qualquer problema de pele, não deixe de procurar um profissional da área.


Mais informações:

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com