Negócios em Foco

Os MMORPGs estão mortos ou mais vivos do que nunca?


Caxias do Sul, RS 25/09/2018 10h24

Com a popularização dos MOBAs a indústria de MMOs parece que parou no tempo, será mesmo?

Jogo de vampiro - DINO

Aquela nostálgica cena do início dos anos 2000 em que diversos jovens falavam sobre os MMORPGs nas lan houses parece que faz parte de um passado cada vez mais longínquo.

Naquela época tínhamos o auge de Ragnarök Online, Tibia, MU Online, Lineage, Priston Tale, Runescape, World of Warcraft e tantos outros que faziam os jovens se divertirem e até mesmo repetirem de ano tamanho era o comprometimento com os jogos.

Os anos foram passando e centenas de games do mesmo estilo eram produzidos quase que mensalmente, a agilidade na produção baseada na enorme demanda tinha um preço: A originalidade era perdida.
Eram centenas de jogos com gráficos diferentes mas "tudo do mesmo", muitas quests do mesmo estilo e cansativas, esquemas Pay2Win cada vez mais absurdos, pets e cosméticos sem qualquer história ou contexto que justificassem estar ali.

Todo esse emaranhado de MMOs produzidos como em uma fábrica saturaram o mercado por volta de 2010, daqueles, poucos se tem notícia hoje em dia.

E o que isso tudo significa, que o estilo de jogo está morto?

Não! Pelo contrário, o que houve foi um equilíbrio de mercado com a entrada dos MOBAs e outros estilos, pois no cenário atual somente os jogos de maior qualidade e originalidade se mantiveram. Veja o caso de World of Warcraft, por exemplo, que dispensa qualquer apresentação e lançou há pouco tempo mais uma expansão.

Runescape é outro antigo que continua firme e forte com seus novos clientes multiplataforma, além é claro, do Tibia que a cada ano lança dois grandes updates trazendo uma quantidade absurda de conteúdo.

E o que faz um MMORPG ser bom? São os gráficos, a história? É difícil responder essa pergunta categoricamente, mas certamente não são só dois itens que vão dizer se um jogo nesse estilo é bom ou ruim.
O que podemos dizer é que um MMORPG deve ser original em todos os aspectos possíveis, que prenda a atenção, faça pensar estrategicamente e é claro que tenha o lado social muito bem explorado.

O lado social é um ponto em que muitos jogos pecam por serem individualistas ou pela comunidade ser fechada demais e não dar espaço para novos jogadores fazerem parte de um grupo. Esse é um ponto difícil de lidar, mas alguns games estão conseguindo trabalhar muito bem o lado da interação e estratégia em equipe, é o caso de Lamentosa.

Lamentosa é um MMORPG de Vampiros e Lobisomens de texto, simples no quesito visual, mas com uma gama estratégica muito grande, conceitos diferentes que valorizam o trabalho em equipe acima do trabalho individual, dessa forma a comunidade é bastante aberta.
Ele roda direto no navegador tanto no desktop quanto no celular, é um jogo novo mas promissor pelas inovações e críticas positivas que têm recebido.
Os jogadores são em sua maioria órfãos de jogos antigos, hoje com seus 24 ~ 40 anos, o que reflete na maturidade de desenvolvimento e alto nível estratégico.

Você pode clicar aqui para jogar Lamentosa agora mesmo.

Com tudo isso podemos concluir que os MMORPGs não estão mortos e sim mais resilientes, aqueles que querem sobreviver precisam de originalidade para prender seus jogadores.


Mais informações:

Divulgado por

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com