Negócios em Foco

Alta rotatividade nas empresas: o que fazer para diminuir esse movimento?


S.Paulo 14/08/2019 11h31

Oferecer um plano de carreira e ter a capacidade de análise são algumas das ações que podem auxiliá-lo na hora de reduzir a frequencia deste fenômeno

No Brasil, o mercado de trabalho fechou 334.462 posições com carteira assinada em dezembro de 2018 e contou com a abertura de 529.554 postos. Estes números fazem parte do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados no mês de janeiro deste ano, pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho.

Olhando para este cenário, surge uma questão: como diminuir a rotatividade de funcionários dentro da minha empresa? A personal rebrander Regina Nogueira comenta algumas dicas que podem auxiliá-lo neste processo. Confira:

1- Diagnosticar a origem da rotatividade

É fundamental que você conheça e entenda o que está acontecendo dentro da sua empresa. Caso note que uma quantidade significativa de funcionários está solicitando o desligamento, é importante saber identificar qual o motivo da “demissão coletiva” e, por outro lado, se a empresa está optando por romper o vínculo com uma boa parte de seus funcionários, é importante que o propósito desta mudança esteja claro na mente dos responsáveis.

2- Apostar na contratação

Pode parecer o passo mais óbvio de todos, no entanto, é o mais difícil de se concluir com sucesso. Neste aspecto, o ideal é que seja realizado um processo seletivo com testes e dinâmicas em grupo a fim de avaliar a adequação do candidato a determinada vaga.

O mundo mudou e as contratações e entrevistas não devem mais usar o velho modelo. Hoje, o mais importante é avaliar se esse candidato está alinhado aos valores da empresa e isso exige que a profissional de RH esteja informada sobre os objetivos da empresa também. Outro item importante é avaliação da universidade cursada: nem sempre o aluno de uma universidade renomada tem a atitude e comportamento que a empresa precisa, afinal, mais de 80% das demissões acontecem por comportamento e não por competência. É importante avaliar se o candidato tem um futuro em mente, isto é, se tem visão e como se vê em 2, 3 anos.

"A cultura da companhia é parte integrante da entrevista. Assim como ela deve ser considerada durante o processo de seleção dos candidatos, a cultura deve estar diretamente ligada ao propósito da empresa em contratar", destaca a personal rebrander Regina Nogueira.

3- Prezar por um ambiente de trabalho saudável

Apresentar problemas com os superiores e/ou colegas de equipe é uma das principais razões pelas quais as pessoas optam por se desligar de uma empresa. Pequenos desentendimentos, além de pesar o clima, quando somatizados a problemas pessoais que os funcionários podem acabar trazendo para o trabalho, podem prejudicar ainda mais a convivência da equipe.

“Se você é um líder saiba que o seu comportamento pode impactar positivamente ou negativamente quem está ao seu redor. Quando, por exemplo, há uma rivalidade entre departamentos, o líder deve saber lidar com a situação e amenizar os impactos. Caso contrário, os resultados podem ser negativos, incluindo o desgaste de todos”, conta Regina Nogueira.

4- Alinhamento de expectativas

Outro aspecto fundamental para reduzir o número de demissões dentro da sua empresa é buscar respeitar, o máximo possível, as funções que foram determinadas no momento da contratação. Evitando atribuir responsabilidades que não foram previamente estabelecidas entre as partes e que podem, principalmente se acumuladas, fazer com que o funcionário busque uma colocação em outra empresa.

“É importante deixar bem claro quais funções a pessoa irá exercer, caso seja escolhida para a vaga. Trata-se de uma maneira de se prevenir contra possíveis desentendimentos futuros entre empregador e empregado”, revela Regina Nogueira.

5- Oferecer um plano de carreira para o funcionário

Um plano de carreira nada mais é do que a elaboração do planejamento profissional de crescimento de um funcionário dentro de uma empresa. "Em qual cargo você pretende estar daqui a 3 anos", "Com qual salário você almeja estar?", são algumas das questões que estão vinculadas ao plano de carreira de um funcionário e podem ser determinantes no que diz respeito ao futuro que este enxerga na companhia.

"O plano de carreira de uma pessoa está profundamente atrelado com seu propósito de vida no trabalho. Este funciona da seguinte forma: uma pessoa jovem pode ter o intuito de aprender, logo, todas as empresas terão algo a lhe ensinar, enquanto uma pessoa mais experiente, que busca uma promoção, já está ciente de que deve ter uma série de comportamentos dentro da empresa para que seu propósito seja alcançado", finaliza a rebrander.

Quem é Regina Nogueira

Com mais de 20 anos de vivência no mercado de comunicação, a Personal Rebrander é formada no ICI, em propaganda pela ESPM e Ciências Econômicas pela PUC-SP. Exerceu funções de liderança e mentoria nas principais agências de publicidade do Brasil e também na área de marketing de grandes empresas.

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com