Negócios em Foco

Novos artistas ganham destaque com regravações


Rio de Janeiro 16/01/2019 13h47

O que é bom dura por mais tempo e com a música não é diferente

Geovane Bento em uma palestra sobre o mercado musical - Gravadora Sel Music

Que o mercado da música vem passando por mudanças nos últimos anos todos sabem, só não se podia imaginar que as músicas antigas que fizeram sucesso no passado, são responsáveis por uma boa parcela dessa mudança no gosto popular. 

Segundo o Estrategista Fonográfico Geovane Bento, isso está acontecendo porque o público se cansou da mesmice.

"A grande maioria das músicas hoje são muito parecidas, o artista precisa entender que é capaz de falar da mesma coisa usando formas diferentes, o artista é um ser criativo por natureza e não precisa se render a essas métricas", diz o especialista.

Hoje, quando uma música toca no rádio, a grande maioria das pessoas tem dificuldade de identificar qual artista está interpretando aquela música, justamente porque tudo está muito parecido, desde o tom de voz até a proposta artística, isso é ruim para o mercado, chega um ponto, que as pessoas se cançam e buscam novas vertentes. 

"Não sei dizer com precisão, mas eu creio que esses motivos estejam fazendo o público prestar mais atenção em músicas mais rebuscadas, e quase sempre são regravações", completa Vitório Antoniani Manager da produtora Branca 83.

As novidades não são tão novas assim

Um ótimo exemplo é o cantor Sika que vem ganhando destaque nas principais rádios do Brasil com a regravação de Canção de Verão em ritmo de pagode/samba composição de Thomas Roth e Luis Guedes, a música foi um grande sucesso nos anos 80 com a interpretação da banda Roupa Nova. 

"De acordo com as informações do sistema de monitoramento radiofônico o portal SpyBat, o cantor Sika está entre as Top 20 mais tocadas na cidade do Rio de Janeiro, essa é uma prova concreta que o público está disposto a ouvir musicas que remetem a uma temática mais retrô", confirma o presidente da gravadora SEL Music e produtor musical Maestro Evaldo Santos. 

Podemos concluir que, por falta de criatividade os artistas estão investindo em regravações? O estrategista fonográfico Geovane Bento responde a essa pergunta: 

"Os artistas não estão passando por uma fase de bloqueio criativo, na verdade, o que buscam são formas de a música ficar mais tempo no mercado, infelizmente, hoje as músicas não ficam nas paradas por mais de três meses, é muito raro uma música inédita ficar muito tempo na grade das rádios, coisa que uma boa regravação garante, pelo fato, de quase sempre ser um mito", conclui o estrategista fonográfico Geovane Bento. 

 

 


Mais informações:

Divulgado por

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com