Negócios em Foco

Novas versões de suplementos sem ingredientes artificiais ganham força e correspondem a mais de 30% das vendas


São Paulo 15/07/2019 18h01

As versões de suplementos, como Whey Protein, MCAA (Micromineirais Complexados a Aminoácidos) e MR (Meal Replacement), que dispensam corantes, aromatizantes, adoçantes e outros ingredientes artificiais, têm sido responsáveis por mais de 30% da comercialização realizada de suplementos alimentares.

Whey Protein Sem Ingredientes Químicos - natusvita.com.br

Em vez dos elementos que precisam passar por processos químicos, a nova tendência aponta para a utilização de substâncias de origem vegetal em suplementos. Os adoçantes, por exemplo, dão lugar ao xilitol, eritritol ou à stevia, alterando sutilmente o sabor, mantendo a eficiência e aumentando a qualidade oferecida.

Portador de alto valor biológico, por envolver grande concentração de proteínas e aminoácidos, o Whey protein (concentrado da proteína do soro do leite) talvez seja o suplemento mais conhecido pelas pessoas, sobretudo frequentadoras de academias. Para oferecer uma solução mais saudável, cada vez mais demandada pelos usuários, fabricantes têm utilizado um novo processo de extração da substância.

"Utilizamos o Whey de filtração cruzada [Crossflow Microfiltration] por se tratar de uma tecnologia limpa, em que há uma garantia de maior integridade da proteína por não serem utilizados reagentes químicos e por se tratar de um processo totalmente mecânico e eficaz na separação do whey de outras substâncias, como gordura, lactose e caseína”, afirma Rozana Schmitt, nutricionista da NatusVita, indústria que investiu em uma linha de suplementos sem itens artificiais.

A indústria de suplementos também tem apostado na adição de frutas orgânicas aos suplementos. "Nosso Whey contém ingredientes como morango, cacau e outras frutas em sua composição e preferimos utilizar polióis como xilitol, eritritol ou stevia para adoçar", complementa Rozana. Grupo de carboidratos com digestão desacelerada, os polióis possuem menos calorias que o açúcar tradicional e ainda demandam menos produção de insulina do organismo, podendo ser usados até mesmo por pessoas portadoras de diabetes, desde que com a orientação de um médico e de um nutricionista.

Além disso, o Whey contribui ativamente para a melhoria da qualidade de vida de um grupo ainda mais preocupado com saúde e bem-estar: as mulheres. Um estudo publicado no final do ano passado pelo jornal científico Geriatrics & Gerontology International aponta que a suplementação com Whey, após treinos de resistência, é eficaz para a prevenção da sarcopenia (perda de massa muscular) em mulheres de meia-idade. Com o problema, esse grupo tende a sofrer mais com osteoporose e possíveis fraturas.

Balanceador Natural de hormônios

As brasileiras ainda contam com acesso a uma aliada que vem direto da vizinhança: a Maca peruana - uma raiz rica em cálcio e magnésio que pode auxiliar no equilíbrio entre hormônios importantes, como testosterona, estrogênio e progesterona, atenuando, por exemplo, os efeitos da temida menopausa, fase da vida da mulher em que os níveis de estrogênio despencam. É possível encontrar a Maca em sua versão orgânica em determinadas lojas.

Contudo, apesar do equilíbrio hormonal, cientistas da Universidade Victoria, na Austrália, testaram a raiz em 29 chinesas na pós-menopausa e verificaram outro dado importante. Após consumirem cerca de 3,3 gramas da raiz por dia, as voluntárias apresentaram redução nos sintomas de depressão e melhoras nos níveis de pressão arterial, sem contar a ajuda na recuperação da massa óssea perdida em razão de déficit hormonal.

Cápsulas Vegetais para Suplementos

Outra mudança importante ocorre na fabricação de cápsulas de suplementos, como, por exemplo, as que envolvem a alga Chlorella e a cianobactéria Spirulina, que também contam com versões orgânicas. Comprovado pela ciência, a dupla é portadora de uma série de atributos aos consumidores por terem alta concentração de nutrientes, sobretudo a vitamina B12 - crucial para a formação das células vermelhas do sangue, evitando a anemia.

Considerando que a vitamina B12 só está presente em carnes, leite, queijos e ovos, consumir a dupla é uma das alternativas para repor a falta desse nutriente em pessoas ovolactovegetarianas. O problema é que a alga e a cianobactéria normalmente são comercializadas por meio de cápsulas de gelatina, que têm origem animal e não podem ser utilizadas por pessoas veganas ou alérgicas.

"Pensando nessa problemática, utilizamos cápsulas de celulose, livres de glúten e outros conservantes, e com origem totalmente vegetal, de maneira a permitir o consumo por todos os tipos de pessoas", esclarece a nutricionista Rozana Schmitt. O que permite ser uma opção para pessoas com restrições a cápsulas de origem animal.


Mais informações:

Divulgado por

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com