Negócios em Foco

Startup brasileira fecha contrato para prover apoio psicológico a 40% da população do Chile


Belo Horizonte, MG 18/07/2019 17h22

Psicologia Viva é a empresa pioneira em telepsicologia no Brasil. Escritório no Chile foi o primeiro passo na estratégia de crescimento da empresa para a América Latina

Bráulio Bonoto, em apresentação para a Fundação MAPFRE - Fundação MAPFRE

O Psicologia Viva é uma plataforma, segura e criptografada com certificado internacional HIPAA Compliance, para conectar psicólogos qualificados e pacientes. A ideia da empresa é democratizar o atendimento psicológico, ajudando países a superarem o grande desafio de cuidar da saúde mental e emocional das pessoas.

Hoje são mais de 4 mil de psicólogos cadastrados na base de 11 países diferentes. A plataforma líder no mercado tem a capacidade de realizar 1.200 atendimentos por dia, e já gerou a diminuição de 27% dos custos diretos em sinistralidade de planos de saúde em algumas empresas. Além disso, diminuiu mais de 60% em custos diretos e indiretos dos clientes e entregou 3% de redução de absenteísmo para os mesmos.

O Brasil é o mercado em que a empresa mais cresce na América Latina, fazendo dessa uma das principais do mundo todo, explica o CEO LATAM do Psicologia Viva, Bráulio Bonoto. "Estamos crescendo no Brasil numa taxa superior a 200%, e nossa meta é sermos tão grandes no Chile como somos no país de origem", explicou o co-founder da empresa. "Entretanto, a realidade do sistema de saúde no Chile é muito diferente do Brasil", aponta Bonoto.

Segundo o co-founder, uma pessoa que é afastada do trabalho no país tem a cobertura de seu salário pelo sistema de saúde (público ou privado), se a causa for de origem comum, ou seja, não associada ao trabalho. Em casos em que a origem do problema é o trabalho, quem deve assumir esta compensação são Mutuais de Seguridade. Estas entidades são órgãos representantes do governo e tem a responsabilidade de prevenção de acidentes e problemas no trabalho junto às empresas. As entidades se financiam com o pagamento de impostos pelas empresas de acordo com o número de funcionários e o percentual que cada empresa apresenta de afastamentos do trabalho anualmente.

Há também o COPIM, um órgão do governo que é o responsável para definir em casos de afastamentos, determinando se a origem do problema é comum ou realmente do trabalho, principalmente quando nenhum dos lados quer assumir o ônus.

Assim surgiu a grande oportunidade de contrato com o país, de acordo com o co-founder. A empresa constatou que 49% dos afastamentos que foram comprovados como de origem do trabalho são por problemas emocionais, e uma parcela considerável desses afastamentos fica a cargo da Mutual após ser julgado pelo órgão COPIM. O problema é tão crítico que, nos últimos dois anos, ocorreu um crescimento de mais de 60% dos afastamentos por problemas emocionais de origem no trabalho.

Diante desta situação, a maior mutual do país, Asociación Chilena de Seguridad (também conhecida como ACHS), se associou ao Psicologia Viva para resolver a questão. Foi criado um questionário para empregados de mais de 58 mil empresas, com o objetivo de fazer com que as pessoas tomem consciência no caso de estarem convivendo com algum problema emocional. Na sequência, objetiva-se descobrir a causa origem do problema. Se a pessoa apresentar resultados no questionário que comprove problema emocional, a ACHS fornecerá apoio psicológico através da solução do Psicologia Viva.

"O Chile é um país com grandes desafios na área de saúde mental. Nossa expertise está em educar a sociedade quanto a problemas emocionais e democratizar o acesso à terapia. Esse movimento poderá ter um impacto muito positivo no controle de crescimento das taxas de afastamento do trabalho por estes problemas no país. Isso gerará melhor qualidade de vida às pessoas, melhor produtividade às empresas e redução de custos à ACHS", comenta Bráulio Bonoto.

A equipe do Psicologia Viva conta, atualmente, com 25 pessoas que se dividem em Belo Horizonte, São Paulo e Santiago. O número deve dobrar até data o final do ano, e multiplicar por dois novamente em 2020.

O executivo admite que o escritório do Chile pode funcionar, no futuro, como sede latino-americana da empresa. Mas a prioridade, neste momento, é consolidar o mercado chileno, visto com alto potencial de crescimento. O aumento de casos de doenças emocionais e mentais em chilenos, além das tendências econômicas e do mercado de trabalho local, indicam uma demanda crescente por atendimento psicológico online, segundo o co-founder.

Com a cultura focada em humanização, a empresa segue como destaque no mercado de inovação no setor de saúde mental. "Com o contrato no Chile, considerando o comércio exterior, estamos prevendo um incremento na potencialidade do negócio nos próximos 3 anos. Mas mais do que isso, esperamos aumentar cada vez mais no número de vidas que vão contar com o nosso apoio em saúde mental e emocional. Essa é a real fonte da nossa motivação", conclui Fabiano Carrijo, também co-founder e CEO Brasil do Psicologia Viva.


Mais informações:

Divulgado por

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com