Negócios em Foco

AS MUDANÇAS HORMONAIS E FÍSICAS DURANTE A GESTAÇÃO


Niterói 15/10/2020 14h37

Se não dá para evitar as varizes para quem já tem propensão, pode-se minimizar o problema com algumas condutas no dia a dia

A gestação é um dos momentos mais especiais na vida de uma mulher. Com as mudanças hormonais ocasionadas pelo momento, existem as mudanças físicas. Para aquelas mulheres que já apresentam históricos de problemas circulatórios, é um período de cuidados redobrados. Diversos fatores, incluindo histórico familiar e obesidade, contribuem para a formação das varizes neste período.

Mas por que ocorrem as varizes na gestação? Elas surgem ou ficam mais acentuadas devido à pressão do útero em crescimento sobre as veias pélvicas e a veia cava inferior (uma grande veia da parte direita do corpo que recebe sangue dos membros inferiores e de boa parte dos órgãos pélvicos e abdominais). Com o desenvolvimento da gestação e aumento do peso do bebê essa pressão aumenta ainda mais. Os níveis de progesterona também influenciam. A elevação desse hormônio provoca o relaxamento das paredes dos vasos sanguíneos.

Se não dá para evitar as varizes para quem já tem propensão, pode-se minimizar o problema com algumas condutas no dia a dia. O exercício físico é super importante. Uma caminhada leve já traz um benefício enorme para a circulação sanguínea. Não ganhar muito peso, fazer uso de meias elásticas, evitar ficar muito tempo sentada e sempre à noite quando chegar em casa elevar as pernas. Isso alivia a pressão do útero contra a veia, diminuindo assim a pressão nas extremidades inferiores.

O uso de meias elásticas é importantíssimo, principalmente no final da gestação. É importante colocar as meias ao acordar. Caso a gestante tenha um problema de varizes mais grave, o médico poderá indicar meias elásticas de maior compressão.

Evitar ficar muito tempo em pé ou sentada também são ações importantes para combater o inchaço e as varizes e deitar do lado esquerdo para evitar comprimir a veia do abdômen também ajuda a aliviar os sintomas. Além disso, é importante ter cuidado com a alimentação, evitando o uso abusivo do sal e de alimentos ricos em sódio.

Essas ações também são importantes para o combate ao inchaço e a retenção de líquido, que também é um problema comum na gravidez. Vale ressaltar que apesar do inchaço ser comum, durante a gestação, deve-se estar alerta a outros sintomas ligados ao inchaço e que devem ser vistos pelo médico, pois pode indicar complicações. Um dos mais importantes é o aumento da pressão arterial ou perda de proteínas pela urina. Neste caso, os sintomas podem indicar pré-eclâmpsia, doença específica da gravidez que provoca parto prematuro e traz riscos para a mãe e o bebê.

Uma forma de aliviar o inchaço e a retenção de líquidos é com uma massagem, que se aplicada de forma correta, ajuda a melhorar a circulação sanguínea e a diminuir o inchaço. Porém só deve ser feita com orientação médica.

Com o fim da gravidez a maior parte dos problemas regride, mas se alguma veia não sumir, o tratamento pode ser feito a partir do terceiro mês após o nascimento do bebê. Vale lembrar que não é proibido tratar as varizes durante a gravidez – mas não pode ser com o uso do laser – mas não é conveniente.

Vale lembrar que mesmo após o tratamento as varizes podem retornar. A genética de um modo geral, junto com os fatores secundários – depilação com cera quente, obesidade, sedentarismo, etc. – podem favorecer o reaparecimento das varizes.

Dr. Ricardo Brizzi é angiologista e cirurgião vascular. É membro da Sociedade de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro, e responsável pelo setor de cirurgia vascular e endovascular dos Hospitais Badim, Israelita e Norte D’Or e Diretor da Clínica Varilaser.


Mais informações:

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com