Negócios em Foco

DOENÇAS CRÔNICAS EM TEMPOS DE PANDEMIA


Niterói 22/06/2020 08h53

Os idosos são a grande preocupação neste momento, pois estão afastados de suas atividades diárias.

Estamos vivendo tempos difíceis e de luta contra um inimigo invisível, em que o isolamento social se faz necessário. Mas é importante frisar a importância das pessoas não deixarem de cuidar da saúde, principalmente aquelas que possuem doenças crônicas, como as relacionadas aos problemas circulatórios. Elas vão continuar ocasionando óbitos também. Segundo estudos do Ministério da Saúde mais de 340 mil mortes por ano estão relacionadas às doenças do aparelho circulatório. Pessoas com essas doenças crônicas também são ,no momento, as maiores vítimas do COVID, e é preciso que entendam que não devem parar o seu tratamento e nem o acompanhamento de seu médico, na medida do possível.

Os dados são alarmantes, entre os males do sistema circulatório, estão as doenças isquêmicas com cerca de 108 mil mortes, doenças cerebrovasculares (mais de 99 mil vitimas), infarto (quase 88 mil mortes) e doenças relacionadas a hipertensão (representando mais de 40 mil mortes).

A Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV) orienta que os pacientes continuem acompanhando doenças vasculares no período de quarentena. Doenças como trombose, varizes, aneurisma da aorta, doença arterial obstrutiva periférica e também problemas circulatórios em pessoas com diabetes precisam de acompanhamento médico regular. E, o angiologista ou o cirurgião vascular, que já acompanha o paciente, deve ser procurado se ocorrer qualquer problema.

Os idosos são a grande preocupação neste momento. Eles estão afastados de suas atividades diárias e de seus familiares. Muitos já apresentam problemas de saúde e a essa imobilidade temporária pode afetar a circulação. É preciso algumas medidas para evitar inchaços, sensação de peso nas pernas e as e até as temidas tromboses.

Uma dica para pessoas de todas as idades é de que o corpo precisa de movimento. É preciso que se evite ficar sentado ou deitado por muitas horas, cuidar da alimentação e aumentar a hidratação. É preciso que se diminua o sal e o álcool durante as refeições. Tanto o sal como o álcool são substâncias que provocam a retenção de líquidos, que dificulta a circulação sanguínea. Evitar também alimentos industrializados e ultraprocessados. O sódio não é o único vilão nesses produtos. Eles contêm também açúcar e gordura, que prejudicam o bom funcionamento do organismo.

Para os fumantes, essa é uma ótima oportunidade para se apagar o cigarro. O tabagismo predispõe a formação de placas na parede das artérias, diminuindo o fluxo de sangue.

Tente criar uma rotina de exercícios simples, que podem ser feitos em casa, e que podem aliviar o inchaço e a sensação de peso nas pernas. Deixe as pernas para cima ao menos 30 minutos ao fim do dia. Um bem simples é a movimentação dos pés pra cima e para baixo trabalhando a panturrilha, que auxilia no bombeamento do sangue para o coração.

Ricardo Brizzi - Angiologista e Cirurgião Vascular. É membro da Sociedade de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro. É um dos Responsáveis pelo setor de cirurgia vascular e endovascular do Hospital Badim, do Hospital Israelita e Hospital Norte D’Or.


Mais informações:

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com