Negócios em Foco

Umidade do mel: implicações sobre os parâmetros de qualidade


São Paulo 08/09/2020 12h45

pote de mel com coletor

Amplamente utilizado pela culinária, o mel é usado também para fins medicinais, graças à riqueza dos elementos que o compõem. Embora pareça simples, a produção do mel apresenta alguns desafios.

A umidade tem sido um dos principais obstáculos enfrentados pelos produtores de mel. A temperatura também é um fator de preocupação para os apicultores e meliponicultores. Dentre outros, esses fatores interferem diretamente com a qualidade do alimento, o que pode resultar em prejuízos.

O controle da umidade relativa do ar é tão importante, por tratar-se de um alimento higroscópico, ou seja, que absorve muito vapor de água. Algumas características do mel podem sofrer alteração conforme o clima, como a textura, sabor e até mesmo a consistência.

Além das condições climáticas, é importante ficar atento a outros elementos que podem interferir nos índices de umidade, como equipamentos e embalagens não secos durante o processamento do mel.

Quando não controlada, a umidade pode causar a fermentação do mel, o que torna o produto impróprio para o consumo. Pode ocorrer também o desenvolvimento de fungos. Esse tipo de contaminação é extremamente danoso para o mel. Pode ainda perder suas propriedades organolépticas como coloração, odor, sabor, etc.

Como se nota, a umidade pode interferir diretamente sobre características e principalmente sobre a qualidade do mel. É fundamental, portanto, a necessidade de controle da umidade sobre o mel, para que sejam preservadas todas as suas características naturais.

Além disso, de acordo com a Instrução Normativa N° 11 de 2000, determinada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o teor máximo de umidade permitido no mel é de 20%. Para alcançar estes níveis, o ideal é contar com a desumidificação da matéria-prima e o controle de umidade dos ambientes de produção, envase e armazenagem.

A demanda do mercado de mel vive uma fase de crescimento. É fundamental haver total segurança em todas as fases de produção do mel desde o apiário, para que sejam preservadas todas as suas qualidades.

O Brasil é hoje um importante produtor de mel destacando-se, inclusive, no competitivo mercado internacional. Anualmente, produz-se no país uma média de 41 mil toneladas do alimento.

O clima, a fauna e flora no Brasil são favoráveis a produção de um mel de qualidade. Não seria justo, portanto, permitir que a umidade atrapalhe esse mercado que, afinal de contas é importante para a nossa economia.

Para que se possa produzir o mel com os mais altos padrões de qualidade e atender à legislação brasileira vigente, é necessário que se mantenha o ambiente sob o mais rígido controle.

Mantendo-se o controle sobre a umidade ambiente, inibe-se a proliferação de microrganismos, como bactérias e fungos, responsáveis pelo bolor e o mofo. É uma maneira segura de manter o mel sem processos de contaminação. Por natureza, o mel é conhecido pela sua longevidade alta. Assim ela permanecerá totalmente inalterada.

A melhor forma de conservar o ambiente sob as condições necessárias para a produção e estocagem do mel, é com a utilização dos Desumidificadores Desidrat, da Thermomatic.

O Desidrat é o mais indicado para as salas de desumidificação, que representam um método seguro e de ótimo custo benefício. Referência no mercado, o Desidrat preenche todos os requisitos para uma produção saudável de mel, atendendo a necessidade de todos os produtores.

Saiba mais sobre os perigos da alta umidade no mel: https://www.thermomatic.com.br/aplicacoes-para-industria/desumidificador-para-mel.html

www.thermomatic.com.br


Mais informações:

Contato | Anuncie
Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Negócios em Foco

Notícias empresariais

Localização
São Paulo - SP, Brasil

E-Mail
redacao@negociosemfoco.com